Notícias

Fique por dentro de tudo o que acontece na Faculdades EST.

Café com Catarina


Café com Catarina

A tarde de terça-feira, 27, teve um sabor especial para discentes e docentes da Faculdades EST. O encontro “Café com Catarina” recebeu as mulheres do grupo OASE da Igreja de Cristo (Igreja do relógio), de São Leopoldo, para compartilharem conhecimentos e celebrarem a participação das mulheres no Movimento da Reforma Protestante.

A professora e coordenadora do Programa de Gênero e Religião, Marcia Blasi, iniciou a tarde saudando as pessoas participantes com o texto de Romanos 1.17-18), texto que inspirou Lutero e foi paradigma da Reforma.

O espaço foi carinhosamente preparado, havia o marco de uma porta de madeira antiga fazendo alusão à estátua de Catarina atravessando uma porta, que se encontra em frente à casa que foi de Martim Lutero e Catarina von Bora, em Wittemberg. A intenção foi despertar a reflexão sobre o que significou, para Catarina, atravessar a porta do convento, ou a porta do casamento. “E nós? Quais são as portas que precisamos atravessar, quais já atravessamos ou quais ainda precisamos atravessar. Será que precisamos atravessar sozinhas?”, salientou a Profa. Marcia. 

Enquanto convidados e convidadas saboreavam a cuca e o café, algumas figuras ilustres foram sendo apresentadas. Algumas mulheres, caracterizadas de acordo com a época, narraram as histórias e contribuições de diferentes personalidades importantes no processo da Reforma.

 

Voltando no tempo

A primeira a apresentar-se foi Catarina Schutz Zell (1497-1562), de Estrasburgo. Era uma mulher culta, leitora de Lutero e casou com um sacerdote que sofreu a excomunhão. Para defender o esposo, escreveu ao bispo cartas de protesto em defesa do casamento clerical.

Em seguida, Wibrandis Rosemblatt (1504-1564). Ela viveu em um período de grande turbulência em Basel, Strassburg e Cambridge. No curso de sua vida, se casou quatro vezes e teve quatro filhos. Apesar das dificuldades, como a morte de seus maridos e das crianças, ela manteve a hospitalidade, acolhendo parentes órfãos e pessoas refugiadas religiosas, correspondendo-se com esposas de muitos reformadores.

Brigitta Wallner (1735-1799) também apareceu. Ela foi casada com um lenhador e, enquanto trabalhava, contrabandeava Bíblias. Era mãe de sete crianças e lutou bravamente pela liberdade religiosa na Áustria e por isso foi presa três vezes. Em 1781, registrou-se luterana e levou a congregação inteira de Gosau a seguir seu corajoso exemplo.

Também foi apresentada Elisabeth von Rochlitz (1502-1557), princesa da Saxônia. Ela exerceu importante papel de oposição ao seu sogro, Duque George, na introdução da Reforma Protestante na Saxônia, empenhando-se na nomeação de clérigos protestantes em seu território.

Olimpia Morata (1526-1525), humanista italiana e ferrenha protestante, também foi representada. Ela passou a juventude na corte de Renée de France em Ferrara, era filha de um professor de grego e por isso aprendeu a língua. Foi convidada a ser professora de grego na Universidade de Heidelberg, mas faleceu logo depois. Escreveu muitas cartas, poesias e escritos filosóficos.

A famosa nobre da Baviera, Argula von Grumbach (1492-1554), primeira autora de panfletos promovendo a liberdade acadêmica e o princípio reformatória sola escriptura também esteve presente. Seus panfletos foram editados numerosas vezes, atingindo cerca de trinta mil leitores e leitoras de toda região. Ela se correspondia com Lutero e outros reformadores.

A tarde não estaria completa sem a ilustre presença de Catarina von Bora, “a Lutera” (1499-1552). Ex-freira e casada com Martinho Lutero, Catarina foi fundamental no movimento da Reforma. Ela coordenou o Mosteiro de Wittenberg, onde morou com Lutero depois do casamento, foi chefe de finanças, administrou e supervisionou a impressão das obras de Lutero, foi mãe, dona-de-casa, cuidou de pessoas enfermas e participou das conversas que Lutero mantinha com outros reformadores. Catarina contribuiu com pronunciamentos espirituais e incentivou Lutero a nunca desanimar e desistir.

 

ViDas em Comunhão e Mulheres da Reforma

Marcia lembrou ainda da Campanha “Em Comunhão com as ViDas das Mulheres”, organizada pela Coordenação de Gênero da IECLB, em parceria com o Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST, incentivando as mulheres presentes a contarem sua história.

Também foram apresentados e presenteados cartões postais com “Mulheres da Reforma”, produzidos pela Frauenntzwerk des Lutherischen Weltbundes, na Alemanha, e traduzidos por uma parceria da Rede de Mulheres e Justiça de Gênero na América Latina e no Caribe, da Federação Luterana Mundial. Os cartões podem ser encontrados no Portal Luteranos onde estão disponíveis para impressão.

Texto de Kétlin Schuschardt e Marcia Blasi


Fique por dentro


Fique por dentro do que acontece na Faculdades EST. Confira abaixo as últimas notícias:

  • Faculdades EST terá cursos de graduação EaD

  • ESEP realiza formatura do Curso Técnico em Enfermagem

  • Formatura das Graduações 2019/01

  • Visita à comunidade do Wallachai

  • ESEP realiza 2ª Mostra de Projetos do Curso Técnico em Enfermagem

  • Lista de aprovados e aprovadas no Vestibular de Inverno

  • Resultado da seleção para o PPG da Faculdades EST

  • Hospital Moinhos de Vento conta com estagiários de musicoterapia da Faculdades EST

  • Grupo Anima faz apresentações no final de semana

  • Doação de livros

  • Coral Vozes do Morro participa de festa na comunidade de Morro Azul

  • Bolsas de estudo para a comunidade

Receba novidades da Faculdades EST por e-mail

Fique por dentro de tudo o que acontece na Faculdades EST. Preencha o seu endereço de e-mail no campo ao lado para que possamos lhe enviar mais informações. Prometemos não enviar SPAM´s nem tampouco divulgar o seu endereço para terceiros.